Excesso de sobrecarga, muitos problemas, relacionamento interpessoais e amorosos complicados, baixa autoestima, angústia, ansiedade, síndrome do pânico, frustração com ou trabalho ou até mesmo desemprego, falta de segurança, violência, luto, crise econômica, enfim, excesso de pressão vinda de todos os lados. Você começa a perceber que não vai dar conta, que vai explodir. Mas você não está sozinho nessa jornada complicada. Pesquisam mostram que mais de 25% dos adultos sofrem de ansiedade, estresse, depressão ou outros transtornos em algum momento da vida. Ocorre é que esses problemas podem muitas vezes consumir mais energia do que deveriam, gerando o que é chamado de esgotamento emocional.

Pode ser que você não sinta nem metade dessas emoções, mas ao menos uma delas já deve ter sentido nem que por um curto espaço de tempo, e agradeça caso tenha sido por um breve período, afinal hoje em dia as pessoas têm sofrido muito com as doenças da alma. Entre as causas para todos esses sentimentos negativos, poderíamos listar diversas situações, como a quase exigência “ter” mais, a indisponibilidade de tempo para o lazer, pouco tempo para o contato de qualidade com familiares e amigos, a necessidade de cumprir à risca inúmeros deveres e tarefas diariamente (até nos finais de semana e feriados), entro outras.  Por conta de tudo isso, as pessoas não param para olhar para si próprias, a fim de observar o que realmente as está “atormentando”, que estão a ponto de “pifar” ou o que podem fazer para evitar que cheguem nesse estado.

É raro e muito difícil ficar de pé e emocionalmente saudável com todas essas situações, sensações e problemas. Não dá para lidar com tudo isso sozinho; os familiares e amigos podem dar suporte, mas não é o suficiente. É preciso procurar uma ajuda profissional. Não é bom conversar com alguém que estará disposto a te ouvir, livre de julgamentos, alguém que te auxiliará a encontrar um melhor caminho para lidar com toda essa situação? Pois é ai que entra o profissional da Psicologia, para te ouvir.

Ao contrário do que muitos ainda pensam, a Psicoterapia não é somente para os “loucos” ou “surtados”. Os especialistas podem ajudar e muito no processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento e o mais importante: levar você a querer e se empenhar em tratar de sua saúde mental. Afinal, a saúde mental é uma das mais importantes, se você estiver com a sua mente desgastada você não produz, se você não estiver bem com seus pensamentos e sentimentos, certamente suas ações não estarão alinhadas com seus desejos, metas e sonhos.

O que é psicoterapia?

Um psicólogo é um profissional que vai te auxiliar a lidar com todo esse pacote de situações pesadas, emoções negativas e sofrimentos.  Por meio da Psicoterapia, pode-se ajudar pessoas de todas as idades a buscarem viver de maneira mais feliz, mais saudável e mais produtiva. Nela, há uma colaboração entre profissional e paciente para lidar com essas questões; é uma via de duas mãos. Sustentada pelo diálogo e baseada na ciência da Psicologia, a Psicoterapia proporciona um clima de suporte que vai permitir com que o paciente expresse verbalmente e abertamente com alguém que é objetivo, neutro e imparcial. Assim, psicólogo e paciente trabalham em conjunto para identificar e mudar os padrões de pensamentos e de comportamentos que o estão limitando de ter uma vida mais feliz e com qualidade. Após algum tempo de Psicoterapia, o paciente já saberá como lidar com a queixa levada ao consultório, bem como também terá aprendido novas habilidades para que possa lidar melhor com quaisquer desafios que apareçam no futuro.

Por que fazer psicoterapia?

Muitos têm preconceito em relação à Psicoterapia, por desacreditar ou desconhecer. No entanto, as pessoas precisam saber que a Psicoterapia nada mais é do que a aplicação de uma ciência, a Psicologia. Portanto, sua prática é baseada em uma metodologia, em princípios e fundamentos científicos.

Sinais de que você pode se beneficiar da Psicoterapia

  • Sensação forte e prolongada tristeza e desamparo;
  • Existência de problemas que não parecem melhorar, apesar de todos os esforços e ajuda de terceiros;
  • Dificuldade para se concentrar no trabalho ou nas atividades cotidianas;
  • Preocupações excessivas, negativismo;
  • Sente que está no limite;
  • Ocorrência de uma situação extremamente traumática;
  • Perda de um ente querido – luto;
  • Separação conjugal;
  • Perda do emprego e ou dificuldades financeiras;
  • Problemas para dormir;
  • Dores recorrentes e inexplicáveis, sem uma causa física detectada;
  • Comportamentos compulsivos em relação a sexo, jogo e até mesmo exercício físico;
  • Abuso de álcool e drogas ilícitas;
  • Baixa produtividade no trabalho;
  • Perda de interesse de fazer o que antes apreciava;
  • Desgaste nos relacionamentos amorosos, familiares e no trabalho;
  • Amigos nota e verbalizam sobre as mudanças de comportamento.

 

Quais são os diferentes tipos/abordagens de psicoterapia?

Há diversas correntes e abordagens na Psicoterapia, tais como a terapia comportamental, terapia cognitiva, psicanalista, humanista. Os psicólogos, em geral, recorrem a uma ou mais destas linhas como manejo clínico, usando instrumentos de uma ou mais vertentes com o objetivo de impulsionar os resultados. Cada corrente teórica serve como um roteiro para levar o psicólogo a compreender melhor seus pacientes, seus problemas, transtornos e buscar caminhos para a melhora. A técnica psicoterapêutica irá depender de uma série de fatores, mas principalmente da orientação teórica (também chamada de abordagem teórica) do psicólogo e de uma avaliação do que pode se adequar melhor e gerar mais benefícios para o caso específico.

Não tenha vergonha! Não tenha medo! Se está tudo muito difícil suportar emocionalmente todos os problemas, entre em contato com a Crip Psicologia.